eSocial e contabilidade: tudo o que você precisa saber sobre essa relação

Especialistas afirmam que o eSocial terá um grande peso sobre o funcionamento das empresas, em especial sobre os departamentos de recursos humanos.

Especialistas afirmam que o eSocial terá um grande peso sobre o funcionamento das empresas, em especial sobre os departamentos de recursos humanos. Embora este primeiro ano corresponda a uma fase de implementação e ainda não haja penalidade para as empresas que não conseguirem, de imediato, se adaptar ao modelo, o melhor é estarem familiarizadas com a plataforma web o quanto antes.

O que se percebe é que os efetivos avanços dos mecanismos dos órgãos fiscalizadores impulsionam pessoas físicas e jurídicas à adoção de tecnologia e ao aprendizado de novas competências, no intuito de lidar com as modificações que vão surgindo. Quanto mais os negócios estiverem integrados aos novos modelos, melhor. Nesse contexto também estão presentes as empresas de contabilidade, que deverão atender seus clientes dentro dos moldes dos progressos tecnológicos, priorizando a automatização dos processos contábeis. Saiba mais sobre a relação entre eSocial e contabilidade!

O que muda para as empresas de contabilidade?

Devem estar inteiradas das mudanças para que sejam capazes de orientar seus clientes quanto às novas formas de declarar e entregar as informações ao fisco.

O eSocial representa, para os órgãos fiscalizadores, uma conquista de mais facilidade para o processo de apuração de dados. É importante que as empresas clientes do serviço de assessoria contábil estejam preparadas para lidar com o novo sistema de escrituração digital, cuja pretensão é unificar as informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais.

O primeiro ano é de implementação do sistema, mas, aos poucos, as normas para entrega dos dados sofrerão mudanças gradativas calendarizadas, substituindo gradualmente as orientações por outras e aprimorando o funcionamento do sistema. No que diz respeito às penalidades, já vigoram apenas aquelas que já existiam antes e que previam sanções legais para atrasos e ausências na entrega dos dados aos órgãos ficais.

Quais os objetivos da entrega de informações unificada?

O eSocial pretende viabilizar que direitos previdenciários e trabalhistas sejam garantidos aos profissionais — e também simplificar o cumprimento de obrigações. As empresas não só deverão comprovar o seu comprometimento com os trabalhadores que contratam ou de quem solicitam serviços, seja por meio de vínculo empregatício ou não, como também evidenciar que cumprem as obrigações tributárias e fiscais que lhes são cabíveis.

É fundamental que a contabilidade das empresas atinja um nível de organização elevado para que estejam aptas a declarar adequadamente informações ao fisco. Para isso, deve contar com as ferramentas necessárias que apoiam uma gestão contábil eficiente e automatizada. Um software de gestão tem o diferencial de implementar rotinas específicas, classificar dados e gerar relatórios confiáveis de maneira mais dinâmica. Tudo isso viabiliza uma padronização na entrega de arquivos para o governo.

A adaptação das empresas ao eSocial

Foi divulgado um manual de orientação em que constam as regras de preenchimento e demais instruções necessárias. Os contabilistas devem estar atentos às normas e procedimentos que surgem com a chegada do eSocial e, assim, conduzirem a contabilidade de seus clientes através de um bom sistema de software, para que estejam aptos a atender as solicitações da fiscalização.

O prazo para adaptação das empresas às novas formas de declaração de dados é de um ano. O que se espera é uma conscientização das pessoas jurídicas (gestores) e dos profissionais de contabilidade sobre a necessidade de adequação ao novo sistema.

As transformações são inevitáveis e o impacto delas sobre as empresas será significativo. É preciso estar apoiado nas soluções tecnológicas de gestão contábil para lidar com as mudanças da melhor maneira possível.

Fonte: Grupo Sage

Diferença entre HumanGuide e DISC

O teste mais utilizado pelas empresas, Disc, mostra como o indivíduo se sente em relação a realidade. Já o HumanGuide, certificado pelo CFP, mostra o que movimenta as ações desse indivíduo, e o que esta por trás das escolhas que eles faz. Veja mais no vídeo:

CRP adverte: use somente testes certificados!

Utilizar testes psicológicos certificados é a garantia de um bom resultado! Saiba mais com Ana Paula Porto Noronha.

Agora é pra valer. Publicado o Manual de Orientação do eSocial.

Com a publicação no Diário Oficial da União, no último dia 24/02/2015, da Resolução nº 1 do Ministério do Trabalho e Emprego, que dispõe sobre o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), está dada a largada para a implantação efetiva do novo sistema que unificará o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados e demais trabalhadores a seu serviço.

É bem verdade que o eSocial havia sido instituído em dezembro/2014 com a publicação do Decreto nº 8.373. Entretanto, o próprio decreto previa que a sua implantação dependeria da regulamentação e publicação do Manual de Orientação. Pois bem, agora não depende mais, uma vez que o manual está publicado e o jogo agora é pra valer.

Quem ainda “apostava” que o eSocial não seria implantado este ano, pode começar a correr atrás do prejuízo. Já aqueles que, precavidamente, se prepararam para este momento sabem que a tarefa é quase herculana.

 

eSocial - Manual de Instruções versão 2.0

Governo vai apertar fiscalização contra trabalho informal

11/02/2015 10h40 – Atualizado em 11/02/2015 11h38

Expectativa é arrecadar ao menos R$ 5,2 bilhões em 2015.
Governo estima que há 14 milhões de trabalhadores na informalidade.

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília

Ministério do Trabalho informou nesta quarta-feira (11) que adotará medidas para combater a informalidade no mercado de trabalho brasileiro, que segundo estimativas oficiais atinge 14 milhões de trabalhadores, e intensificar o combate à sonegação de valores devidos ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Com as medidas, o governo espera arrecadar ao menos R$ 5,2 bilhões até o fim deste ano em recursos para o Fundo de Amparo ao Trabalhador, para o FGTS e para a Previdência Social.

Ainda temos 14 milhões de trabalhadores em situação irregular, que não têm acesso aos seus direitos básicos”

Manoel Dias, ministro do Trabalho

“Mesmo que tenhamos hoje mais de 50 milhões de pessoas empregadas formalmente e isso é uma grande conquista dos últimos 12 anos, ainda temos 14 milhões de trabalhadores em situação irregular, que não têm acesso aos seus direitos básicos. Isso representa uma sonegação de R$ 80 bilhões por ano à Previdência e ao FGTS, que nós temos de combater pelo bem do trabalhador, tanto na questão dos direitos quando na saúde dos fundos”, declarou o ministro do Trabalho, Manoel Dias.

Segundo ele, os auditores fiscais do trabalho estão dando início à segunda fase do Plano Nacional de Combate à Informalidade neste ano, com o objetivo de formalizar, ao menos, 400 mil trabalhadores de maneira direta até o fim de 2015, o que geraria, de acordo com estimativas do governo, uma arrecadação extra de R$ 2,52 bilhões para a Previdência Social e para o FGTS. As regiões Nordeste e Sudeste, que têm os maiores índices de informalidade, devem ganhar “atenção especial”, informou o governo.

Na última segunda-feira (9), o ministro anunciou que as medidas teriam um impacto de R$ 10 bilhões. Questionado sobre a diferença entre os R$ 5,2 bilhões e os R$ 10 bilhões informados anteriormente, Manoel Dias afirmou que novas ações serão adotadas nos próximos meses para completar o valor de R$ 10 bilhões.

Multa maior por falta de carteira assinada
Para aumentar o índice de formalização, o Ministério do Trabalho também informou que pretende encaminhar à presidente Dilma Rousseff um pedido para elevar o valor da multa para o empregador que não registrar em carteira o trabalhador. A multa, atualmente, é de R$ 402,53 e não é atualizada há 20 anos.

Segundo avaliação do ministro Manoel Dias, o valor atual da multa não “assusta” mais o sonegador, que muitas vezes prefere se arriscar e manter o trabalhador irregular. Para o valor da multa ser elevado, porém, ainda tem de ser enviado, e aprovado, um projeto de lei sobre o assunto pelo Congresso Nacional.

Maior fiscalização eletrônica do FGTS
Outra ação anunciada pelo Ministério do Trabalho é a deflagração, a partir desta semana, da terceira fase do Programa de Fiscalização Eletrônica (FGTS). A meta, informou o governo, é recolher e notificar um valor superior a R$ 2,6 bilhões até o fim deste ano e, também, garantir que os valores devidos aos trabalhadores sejam depositados nas suas contas vinculadas.

O Ministério do Trabalho estimou que a sonegação média do FGTS é de 7% ao ano, o que representa cerca de R$ 7,3 bilhões se for levada em consideração que a arrecadação do FGTS, em 2014, foi de R$ 104,5 bilhões. “Nós vamos em busca dessa diferença, e esperamos ultrapassar a meta de R$ 2,6 bilhões, já que temos a recolher o FGTS não apenas do ano passado”, declarou o ministro Manoel Dias.

O Ministério do Trabalho esclareceu que houve, nos últimos anos, um avanço no “mapeamento” de sonegadores por meios eletrônicos e acrescentou que, para atingir esse objetivo de arrecadação, o governo pretende capacitar mais 1500 auditores fiscais do trabalho em novas ferramentas de fiscalização do FGTS. Além disso, também pretende aumentar a porcentagem de empresas alcançadas por meio da fiscalização eletrônica.

Fonte: Portal de notícias G1

Sucesso no evento "eSocial como o futuro da fiscalização eletrônica"

Talent Group, em parceria com a EY e a Câmara-Sueco Brasileira, realizaram o evento  “eSocial como o futuro da fiscalização eletrônica”.

Para tratar desse assunto acionamos as lideranças de TI, por entendermos que é uma área que dispõe de muitos terceiros, em um mercado que nos últimos anos vinha adotando modelos bastante informais de contratação, que envolvem riscos.

O evento foi um sucesso e contou com a participação de diversas lideranças de conceituadas empresas. Recebemos um total de 38 participantes, que representavam 23 empresas, sendo que:

– 36,3% são empresas do segmento Financeiro;

– 31,8% são empresas do segmento de Serviços;

– 22,7% são empresas do segmento de Comércio; e

– 9,09% são empresas do segmento de Indústria.

 

Com relação à área e nível dos participantes, podemos citar que:

– 65,8% dos participantes são da área de TI

– 26,3% são da área de RH; e

– 7,9% são da área Financeira/Fiscal.

Sendo que desses participantes, 55,3% deles são Gerentes e Diretores, 2,63% são Coordenadores e 28,9% são Analistas.

 

Após o evento foi realizada uma pesquisa de satisfação com todos os presentes. Todos os participantes avaliaram os temas abordados como ótimos e consideram que esse tema tem total relevância para suas atividades e empresas. 88,8% dos participantes consideraram muito boa a evolução de seus conhecimentos sobre os temas apresentados, a partir das palestras que foram ministradas.

Um dado bastante relevante, que demonstra a falta de informação das empresas sobre esse tema atual e de total importância, é que apesar da implantação oficial do eSocial estar marcada para menos de 1 ano, não há nenhuma empresa que esteja com esse projeto em estágio avançado (realizando testes). 44,4% estão em estágio intermediário, outras 44,4% estão em estágio inicial, 11,1% estão com o projeto paralisado.

Por fim, segundo a pesquisa de satisfação pudemos perceber que mesmo com as constantes fiscalizações do governo, muitas empresas ainda trabalham com regimes como PJ, cooperativas e CLT Flex, trazendo o risco trabalhista para suas atividades. 66,6% das empresas presentes afirmam que trabalham com qualquer regime de mercado, sem os cuidados devidos.

Devido ao grande sucesso do evento, a Talent Group decidiu abrir mais uma data, que será no dia 11/11/2014. Para saber mais informações, entre em contato através do email adriana.ficher@talentgroup.com.br ou (11) 4095-5008.

 

 

28 de Novembro de 2014: Novembro Azul na Talent Group

No dia 28 de Novembro de 2014, a Talent Group realizou o encerramento da campanha do Novembro Azul com o dia da conscientização sobre o Câncer de Próstata. Todos os colaboradores vieram com alguma peça azul em apoio à campanha. Foi distribuído um brinde para todos os colaboradores, composto de 1 bigode que é o símbolo do movimento e um folder explicativo.

Sucesso no último evento do ano sobre o eSocial

No dia 11/11/2014 a Talent Group, em parceria com a EY e a Câmara-Sueco Brasileira, realizou um evento com o tema “eSocial como o futuro da fiscalização eletrônica”.

Esse evento foi realizado devido ao grande sucesso do evento anterior, realizado em outubro desse ano. Sendo assim, a Talent Group abriu uma nova oportunidade para quem não pôde participar.

Para tratar desse assunto acionamos as lideranças de TI, por entendermos que é uma área que dispõe de muitos terceiros, em um mercado que nos últimos anos vinha adotando modelos bastante informais de contratação, que envolvem riscos.

O evento foi um sucesso e contou com a participação de diversas lideranças de conceituadas empresas. Recebemos um total de 24 participantes, que representavam 15 empresas, sendo que:

– 20% são empresas do segmento Financeiro;

– 33.3% são empresas do segmento de Serviços;

– 26.7% são empresas do segmento de Comércio; e

– 20% são empresas do segmento de Indústria.

 

Com relação à área e nível dos participantes, podemos citar que:

– 50% dos participantes são da área de TI

– 37.5% são da área de RH; e

– 12.5% são da área Financeira/Fiscal.

Sendo que desses participantes, 37.5% deles são Gerentes e Diretores, 33.3% são Coordenadores e 29.2% são Analistas.

 

Após o evento foi realizada uma pesquisa de satisfação com todos os presentes. Todos os participantes avaliaram os temas abordados como ótimos e 70% deles consideram que esse tema tem total relevância para suas atividades e empresas. 90% dos participantes consideraram muito boa a evolução de seus conhecimentos sobre os temas apresentados, a partir das palestras que foram ministradas.

Um dado bastante relevante, que demonstra a falta de informação das empresas sobre esse tema atual e de total importância, é que apesar da implantação oficial do eSocial estar marcada para menos de 1 ano, não há nenhuma empresa que esteja com esse projeto em estágio avançado (realizando testes). 30% estão em estágio intermediário, outras 50% estão em estágio inicial, 20% estão com o projeto paralisado.

Por fim, segundo a pesquisa de satisfação pudemos perceber que mesmo com as constantes fiscalizações do governo, muitas empresas ainda trabalham com regimes como PJ, cooperativas e CLT Flex, trazendo o risco trabalhista para suas atividades. 60% das empresas presentes afirmam que trabalham com qualquer regime de mercado, sem os cuidados devidos.

 

 

 

eSocial: Confirmada para Dezembro/2014

Matéria publicada pelo site RHevistaRH:

eSocial: Confirmada para Dezembro/2014 Publicação da Portaria que Oficializa a Nova Obrigação Acessória

 

Posted by RHevista RH on 28/11/2014

São Paulo, 28/11/2014,

Daniel Belmiro FontesCoordenador do Projeto eSocial

Daniel Belmiro Fontes
Coordenador do Projeto eSocial

Em palestra realizada ontem, na sede da AMPRO – Associação de Marketing Promocional, em São Paulo, Daniel Belmiro Fontes, Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil e Coordenador do Projeto eSocial, esclareceu diversas dúvidas sobre o projeto eSocial.

Comentou, por exemplo, que se a empresa tem conduta de conformidade com as normas legais, ela está começando bem a preparação para o eSocial.

Ressaltou, entretanto, que aquelas que não adotam esta conduta, não têm ideia do risco e tamanho do passivo que estará gerando para si. Por fim, complementou dizendo que o cruzamento de informações, por parte dos órgãos governamentais, aumenta a cada dia.

Quanto a data de publicação do eSocial informou que dezembro será o mês, tanto da publicação da Portaria que oficializa o manual e seu anexo I (leiautes dos arquivos), como da liberação da área para qualificação dos colaboradores. Complementou a respectiva informação dizendo que o manual (concluído) já está na Casa Civil para aprovação e respectiva publicação.

Entre as alterações previstas no novo manual, ressaltou a possibilidade do envio de mais de uma tabela de verbas, que vem para atender necessidades de empresas que tem processamento de folha por estabelecimento/localidade.
Para atender necessidades específicas de órgãos públicos, o código da CBO também poderá ser indicado na tabela funções.

Já em relação aos demitidos que não foram informados nos vínculos iniciais, Daniel Belmiro informou que eles poderão, a qualquer tempo, ser informados através do mesmo arquivo inicial de vínculo. Tal informação será necessária para realizar as folhas de pagamentos/rescisões complementares destes ex-empregados em casos, por exemplo, de reajustes salariais, definidas, após a data base ou nos casos de pagamento de PLR. Citou ainda que no caso de comissões (futuras) estas devem ser pagas no momento da rescisão contratual e não através de rescisões complementares.

Informou também que alguns arquivos estão sendo retirados do eSocial, por exemplo:

a) Estabilidade
Segundo Daniel Belmiro, estas informações podem ser apuradas pelos órgãos envolvidos através de outras informações prestadas em outros arquivos. Por exemplo, data base, maternidade, acidente de trabalho, etc.

b) Serviços Tomados Mediante Cessão de Mão de Obra; Serviços Prestados Mediante Cessão de Mão de Obra; Serviços Tomados de Cooperativas de Trabalho; Serviços Prestados por Cooperativa de Trabalho; Aquisição de Produção Rural; Comercialização da Produção, Recursos Recebidos ou Repassados para Associação Desportiva que mantém equipe de Futebol Profissional, Desoneração da Folha de Pagamento, Informações Complementares para o Simples Nacional, Atividades Concomitantes, Contratação de Trabalhadores Avulsos Não Portuários.

Estes arquivos estão saindo do eSocial. Entretanto, está sendo criado, em paralelo, um EFD específico, para enviar estas informações. A ideia é que estas informações partam dos sistemas financeiro/fiscal das empresas. Portanto, estas informações saem das mãos do RH e passam para as mãos do departamento financeiro/fiscal.

Para finalizar, Daniel Belmiro, informou o seguinte cronograma para o eSocial:

• Dezembro 2014: Publicação da Portaria e disponibilização do Manual;
• Seis meses após: Liberação do ambiente para testes por todas as empresas;
• Janeiro 2016: Envio oficial dos arquivos por empresas com faturamento igual ou acima de 78 milhões.
• Meados de 2016: Envio oficial dos arquivos por empresas com faturamento igual ou acima de 3,6 milhões.

Para acessar a matéria na íntegra, acesse: http://www.rhevistarh.com.br/portal/?p=12906

30 de Outubro de 2014: Outubro Rosa na Talent Group

Hoje, 30 de Outubro de 2014, a Talent Group realizou o dia da conscientização sobre o Câncer de Mama, apoiando o movimento mundial do Outubro Rosa! Todos os colaboradores vieram com alguma peça rosa em apoio à campanha. Foi distribuído um brinde para todas as colaboradoras, composto de 2 tipos de esmalte e 1 folder explicativo sobre o auto-exame.